Crítica / A Maldição da Chorona

O filme  A Maldição da Chorona é a nova aposta da Warner para o gênero de terror e segue o modo clássico do roteiro, sem grandes mudanças. 

A trama acompanha uma assistente social e seus dois filhos fugindo das forças do mal, que no caso, é um fantasma de uma mulher que chora por ter pedido seus filhos e está atrás de crianças para preencher esse vazio. Na maior parte do filme há o suspense e logo em seguida a aparição da personagem, com cenas são bem barulhentas e cheia de efeitos para assustar o público.

Há também um quarto personagem, o curandeiro exorcista, que ajuda a família a se livrar da maldição, ele parece entender o que está acontecendo e tem tudo o que eles precisam para conter a fantasma. A cenas principais sempre se passam durante a noite, ou seja, sempre em um ambiente escuro e sombrio, as vezes não mostrando grandes detalhes nas cenas. Um detalhe que me surpreendeu, foi o fato de que algumas cenas causaram risadas coletivas e deu uma perceptiva de que apesar do medo, os personagens estavam dispostos a encarar a chorona.

A Maldição da Chorona — (The Curse of La Llorona) Estados Unidos, 2019.

Direção: Michael Chaves

Roteiro: Mikki Daughtry, Tobias Iaconis

Elenco: Aiden Lewandowski, Andrew Tinpo Lee, DeLaRosa Rivera, Irene Keng, Jaynee-Lynne Kinchen, John Marshall Jones, Linda Cardellini, Madeleine McGraw, Marisol Ramirez, Oliver Alexander, Patricia Velasquez, Raymond Cruz, Ricardo Mamood-Vega, Roman Christou, Sean Patrick Thomas, Sophia Santi

Duração: 93 min.

Críticas