John Wick 3 Parabellum (Crítica)

Na quinta-feira passada, 16 e Maio, John Wick 3 – Parabellum estreiou em território nacional, para felicidade dos fãs da franquia, e nós fomos assistir.

O novo capítulo aborda uma nova caça à John, que desta vez está devendo 14 milhões de dólares referente à um contrato, e luta para sair de Nova York, pois está sendo alvo dos maiores assassinos do mundo.

Um filme com muita ação e poucas palavras. O novo longa é o melhor da franquia, porém, existem muitas partes do filme que deixam a desejar demais.

As lutas são um pouco paradas, considerando o momento e o desejo de matar John, isso sem considerar que seus inimigos são “bobinhos” e ao mesmo tempo muitos deles são fãs da história de John Wick (em alguns momentos parece até mesmo que vejo o Peter Parker (Tom Holland) se apresentando e idolatrando Os Vingadores).

Com uma fotografia muito bonita, em Nova York, o filme ganha um aspecto de uma nova visão, mas existem cenas em que John está em um deserto, por exemplo. Acho que quando há essa transição e troca de localização no filme, a produção poderia ter mostrado como o personagem foi parar neste lugar ou até mesmo colocar o nome da nova locação na tela, mas infelizmente não acontece, a cena só troca de local do nada, sem satisfações, o que ao mesmo tempo dá a entender que aquele deserto fica em Nova York (confuso, não?). Claro, que não somos leigos, mas quanto mais informações, melhor para a história se estruturar.

Por fim, acho que a guerra que é formada contra John Wick dentro do Hotel Continental poderia ter sido mais impactante. Digo isso, porque a equipe que luta para matar John está muito bem equipada e usa vestimentadas à prova de balas, capacetes de ótima qualidade, mas perde a luta pra John, que não tem proteção alguma e armas mais fracas que a de seus inimigos.

 

 

Críticas